Carregando Post...

Dica de Leitura: “Eu Estive Aqui” (Gayle Forman)

imagem

"Ler as pichações em voz alta era um dos nossos passatempos favoritos. Corações de casais já separados havia muito tempo, e letras de canções que ninguém mais lembrava. Sempre havia coisas novas riscadas em cima das antigas, embora uma frase, a preferida de Meg, continuasse gravada no metal: Eu Estive Aqui. Ela adorava isso. 'O que mais você pode dizer, não é mesmo?', perguntava."

(Trecho retirado do livro: "Eu Estive Aqui")

Imagine amar demais uma pessoa. Viver anos intensos e parceiros ao lado dela. E de repente, aquela presença se tornar ausência e dor. É assim que Cody se sente ao perder Meg para a morte, após a melhor amiga cometer suicídio. Por quê? Como? São algumas perguntas que Cody não se conforma em não ter as respostas.

A voz e o calor de Meg se foram, e levaram junto outras vidas e alegrias. Já leu "Eu Estive Aqui"?

A história: Cody perde o chão e ganha um choque no coração quando descobre que a melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno. Dando fim à própria vida.

Meg é encontrada sozinha, num quarto de um motel. Cody, por sua vez, não consegue compreender e viver com essa nova realidade. À pedido dos pais da amiga, ela parte rumo a Tacoma, lugar onde Meg fazia faculdade. Com o intuito de somente reunir os pertences daquela que deixou um vazio no peito, Cody acaba descobrindo coisas que Meg jamais havia lhe contado. Conhece também quem eram os colegas de quarto dela, dentre eles está Ben McCallister, um guitarrista zombeteiro que se envolveu com Meg e que possui seus próprios segredos.

Vasculhando o notebook de Meg, Cody tem sua maior descoberta: um arquivo criptografado. Inicialmente impossível de ser aberto ela precisa da ajuda de um dos colegas de Meg que, enfim, consegue desbloqueá-lo. De repente, Cody descobre que não sabe tudo sobre a morte da melhor amiga e nem quem ela era na realidade.

Como superar uma perda irreversível? Como encarar os próprios sentimentos e desejos? E mais: pra qual caminho a curiosidade misturada com a coragem pode levar você?

"All-BS: Talvez a sua melhor metade, como você a chama, não passasse de uma muleta. Pode ser aterrorizante, depois de tanto tempo usando uma muleta, se ver sem ela. Talvez agora você esteja enfrentando esse processo de ajuste.

E é isso. Nada sobre eu me matar ou a vida ser o problema. Apenas uma sugestão de que Meg era minha muleta.

E o mais assustador é que ele tem razão. Meg me sustentava. Sem ela, não consigo me manter em pé."

(Trecho retirado do livro: "Eu Estive Aqui")


Comentários

Deixe um Comentário

Posts Recentes

24/Novembro/2017

Se é AMOR, não traz dor

10/Outubro/2017

Ela não endureceu. Ela...

15/Setembro/2017

Relações rasas. Pessoas...

Categorias


Onde estamos ? clique no mapaFechar Mapa

Entre em Contato

Escreva para nós, estamos a sua disposição!

Telefone

(18) 3262-1792

(18) 99665-1279

Email

contato@diariodeumasobrevivente.com.br

Localização

Presidente Bernardes - SP